Ano III - 15 de Dezembro de 2018

Saúde, Beleza e Bem-Estar

21/05/2016
Por que beber Água Mineral?

Os primeiros relatos de cuidado com a água para ingestão humana datam de 15 séculos A.C.; Hipócrates (460-354 A.C.), o pai da Medicina, também recomendava que a água das chuvas, se usadas para consumo humano, deveria ser fervida e coada(1).

Na França (1605), rei Henrique IV estabeleceu que as águas minerais, por possuir propriedades terapêuticas, só poderiam ser comercializadas por farmacêuticos. 

Aos poucos, as águas minerais chegaram aos supermercados e desapareceram das farmácias(2). 

Com o surgimento das cidades, foi preciso planejar o suprimento constante de água “pura” para o consumo humano. 

Mas, como nas cidades se produzia dejetos que contaminavam as fontes naturais de água, registrou-se os primeiros surtos de infecções bacterianas pelo consumo de água; o problema é naquela época não se sabia qual a origem da doença, pois estes primeiros surtos se deram antes da invenção do microscópio e não se cogitava que a água estivesse contaminada com microorganismos, tão pouco o tratamento dos infectados com antibióticos(3).

Em meados do século XIX, Luiz Pasteur e Robert Koch, formularam a teoria do germe, que explicaria a turvação da água contaminada, até que em 1884, com a invenção do microscópio de Koch, o Vibrio Cholera (bactéria causadora do Cólera) fora identificado e relacionado à contaminação das reservas de água. 

Assim, com o passar do tempo, tentou-se imitar a natureza, purificando ou filtrando-se artificialmente as águas de superfície, com a intenção de torna-las semelhantes às águas minerais(4), antes consideradas terapêuticas(5).

Sob o ponto de vista da organização das moléculas de água, a estrutura hexagonal, que forma a chamada água hexagonal – com 6 moléculas ligadas entre si, é a sua melhor forma de organização, formando complexos, ou clusters de água(6). 

A preocupação com a estrutura hexagonal da água pode ser justificada pela descoberta, nos anos 1970, de que a estrutura da água celular seria semelhante a estrutura hexagonal da molécula de água no gelo; porém no estado líquido(7).

Algumas águas minerais possuem essa estrutura pentagonal ou hexagonal de organização das moléculas de água. O Dr Mu Shik Jhon em seu livro "El Puzle Del Agua Y La Clave Hexagonal” registra que a água hexagonal melhora o estado imunológico, o fornecimento de nutrientes às células, bem como melhora o fluxo de remoção de resíduos metabólicos para fora do organismo(8).

Finalmente, além dos minerais que enriquecem terapeuticamente as “águas minerais”, de sua pureza (ausência de microorganismos), as melhores águas minerais possuem pH alcalino, sendo chamadas de “águas alcalinas”, com pH entre 7 e 10. Isto porque o meio intracelular é alcalino (básico), enquanto que células doentes (como nos tumores cancerígenos) possuem pH é ácido. Desta forma, o consumo de água com pH abaixo de 7 ou de bebidas como os refrigerantes (pH ácido próximo de 2), exigem do organismo grande esforço para retomar o pH alcalino no meio intracelular. Com o passar dos anos de vida, há uma tendência do corpo de perder essa “capacidade de ajuste do pH celular” que pode levar, em casos mais extremos, ao câncer. Desta forma, o consumo de água mineral alcalina, supre o organismo com elementos mais próximos de sua necessidade fisiológica(9). 

Em resumo, sua água de mesa de boa qualidade precisa reunir as seguintes características: 

1-Ser mineral;

2-Isenta de contaminação microbiológica;

3-Possuir estrutura molecular hexagonal;

4-Possuir pH alcalino (entre 7 e 10).


Texto de: Mário dos Anjos Neto Filho. Farmacêutico-Bioquímico pela FCFRP-USP, Mestre e Doutor em Farmacologia pela FMRP-USP. Editor-Chefe da Master Editora e do periódico científico Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research.


Referências:

[1]National Academy of Science. Drinking water and health. Safe drinking water committee, National Research Council. 1977; 1:948.

[2]Raynal C. The sale of mineral waters by the pharmacists. Rev Hist Pharm (Paris). 2004; 52(344):587-606.

[3]Koch, R. Annual Reports of the Medical Officer of Health. St. James, Westminster, 1856 to 1884.  "On the Bacteriological Diagnosis of Cholera and other papers". Translated G. Duncan. Edinburgh, 1894.

[4]Fumes JH. Water and public health. JOHN Wiley, New York. Am Works Assoc New York. 1897.

[5]Weisz G. Water cures and science: the French Academy of Medicine and mineral waters in the nineteenth century. Bull Hist Med. 1990; 64(3):393-416.

[6]Ralph C. Equilibrium structural model of liquid water: Evidence from heat capacity, spectra, density, and other properties. Dougherty and Louis N. Howard. J. Chem. Phys. 1998; 109:73-9.

[7]Gustafson DR. Positronium formation in muscle. An investigation of the structure of cell water. Biophys J. 1970; 10(4):316-22.

[8]Jhon Mu Shik, The Water Puzzle and the hexagonal key, Uplifting Press. 2004; ISBN 0-9752726-0-8.

[9]Advanced research on the health benefit of reduced water. Trends in Food Science & Technology. 2012; 23:124-31. 

Escopo Editorial Sobre Master News Quero ENVIAR UMA MATÉRIA Quero SER UM PATROCINADOR
Quero receber conteúdos Master News
Preencha os campos abaixo e fique atualizado com os principais temas relacionados à "Saúde, Beleza e Bem-Estar", "Educação" e "Ciência e Tecnologia".



Master News - Fone: (44) 4141-7500 - Rua Princesa Isabel - 1236 - Maringá/PR
email: comercial@grupoemaster.com.br